angry_pixabay
Reclamamos quando algo nos tira do sério, fere, dói ou queremos atenção (Pixabay)

Tem gente que reclama de tudo, o tempo todo. Quanto isso prejudica o cérebro? Quanto isso sabota nossa felicidade? Por que reclamamos e como mudar isso?

Reclamar de algo ou alguém ou queixar-se é sinal 💡  de que algo não vai bem. Claro, todos nós passamos pela experiência de que algo não sai como imaginamos ou ouvimos o que não estamos a fim. OK, reclamar uma vez ou outra, queixar-se nos ouvidos de alguém de vez em quando pode ser “normal” para muitos.

O autor e palestrante Will Bowen, considerado autoridade no assunto “queixas”, fez uma pesquisa e chegou à conclusão que 78% dos trabalhadores americanos gastam cerca de 3 a 6 horas (ou média de 4,5 horas) por semana se queixando. Tem mais: 1 a cada 11 pessoas deixa a empresa por causa do colega/chef reclamão. Sabe qual é a consequência disso? Baixa produtividade, infelicidade, demissão… Tem um custo altíssimo para as companhias, pois o turn over (rotatividade) de pessoal consome boa parte dos lucros da empresa. Outro detalhe importante. Fiz as contas. Considerando que temos 48 semanas no ano, multiplicando 4,5 = 216 horas/ano, o que se traduz em 27 dias, considerando uma jornada de 8 horas. Vinte e sete dias do ano reclamando! Ou seja, praticamente um salário inteiro foi para o lixo. Wow! Quanto dinheiro jogado fora!

"Reclamações se espalham como ervas daninhas sufocando a vida de qualquer organização. Para que uma equipe floresça, 
a liderança deve ajudar as pessoas na organização a se concentrarem nas oportunidades e não em problemas." (Bowen)

Só de reclamar mentalmente, sem falar nada pra ninguém, já causa um prejuízo interno. Imagine dividir isso com alguém ou ter que ouvir mimimi.  😕 Um estudo do cientista da computação e filósofo Steven Parton, mostra o quanto a reclamação e a negatividade afetam o corpo e a mente. Segundo Parton, afetam a estrutura e função do corpo e da mente. Sendo assim, quem reclama e vibra na negatividade irá produzir mais do mesmo.

Na vida pessoal, as queixas frequentes podem ser agentes destruidores de relacionamentos. Podem afetar a condição psicológica e causar doenças. Já parou pra pensar quantas vezes reclama por dia? Que tal passar a tomar nota? Em pesquisas, o autor chegou à conclusão que em média reclamamos de algo 15 a 30 vezes por dia. Número mais do suficiente para roubar nosso foco, atenção, alegria, prazer, etc. E as queixas frequentes fazem nosso cérebro se acostumar com isso, produzindo mais e mais. Assim, criamos uma mente doente.

Como assim? Cérebro reclamão?

Cientificamente falando, as sinapses disparam reações químicas a cada pensamento. Cada sinapse manda a informação para a outra, através da fenda para outra sinapse. Assim, forma-se uma ponte para enviar o sinal elétrico. Cada vez que essa descarga elétrica acontece, as sinapses se aproximam mais. Dessa forma o pensamento se propaga mais depressa. Porque? O cérebro refaz seus próprios circuitos. Este é o resultado de uma pesquisa realizada pelo neuropsicólogo e doutor pela Universidade de Harvard. Sua teoria, chamada de hebbiana, é “células que disparam juntas, permanecem conectadas”.

Gente, isso é muito sério. Significa que o cérebro acostumado a reclamar, vai reclamar cada vez mais, com mais facilidade. Aí, ele vai atrair mais situações como essas e isso se transforma em ciclo. Viu que horrível?

Queixas e as pessoas certinhas

Normalmente, as pessoas que reclamam e se queixam têm um padrão de “certinhas” e o mundo tem que ser como ela o vê. Para esse tipo de pessoa, sem flexibilidade nos seus pensamentos, existe uma dificuldade para aceitar uma situação quando não está de acordo com os princípios dela. Por exemplo: “levantei atrasada, peguei um trânsito horroroso, aí chego pra tomar um café na lanchonete e esse tava horrível. Quase vomitei. Além de tudo ainda dei de cara com aquele chato do fulano…” e assim por diante. Quem suporta isso? Só a pessoa que se queixa e se lamenta. Ninguém é obrigado a ouvir esse tipo de coisa. Se ela tivesse mais flexibilidade teria mudado a frase para “não levantei no horário mas deu tempo de tomar um cafezinho, o trânsito não estava tão congestionado e que bom que cheguei a tempo de bater o cartão antes das 9h!”.

Porque tantas queixas?

A gente se queixa quando é perfeccionista ou é rígida em relação a si própria e aos demais em volta. A gente se queixa quando sente sofrimento, dor ou descontentamento. A gente se queixa porque quer atenção de alguém, porque quer envolver outros na história. Porque não quer assumir responsabilidade. Sim, sempre falo dos 100% de responsabilidade sobre si próprio. Por exemplo, “mamãe, o fulano me bateu e ,eu deu um chute, to com raiva dele”, lamenta a criança. Ao dialogar, a mãe descobre que foi o filho quem provocou a briga. Para ele crescer assumindo responsabilidade pelos seus atos, a mãe deve orientá-lo e estimulá-lo a assumir seus atos, ser responsável e ir pedir perdão.  Assim, teremos uma sociedade melhor.

reclamacao_tofelizdavida
Queixas contaminam a outra pessoa: ironia, raiva, dor, tristeza… (Flickr)

Queixas contaminam

Tem gente que reclama e se queixa de tudo. E fala sobre isso com a maior naturalidade como se qualquer pessoa tivesse a obrigação de ouvi-la. Quando, nesse caso, o interlocutor muda de assunto, ela dá um jeitinho de voltar pro seu mimimi. E sabe o que acontece? Quem ouve também acaba ficando mal. Tem o tal neurônio-espelho que é uma faca de 2 gumes. Ele tanto pode ser benéfico como maléfico.

OK, vou explicar o que são neurônios-espelho. Descobertos por um neurocientista italiano chamado Giacomo Rizzolatti.  “Somos criaturas requintadamente sociais”, explica o autor que também diz o seguinte.

"Os neurônios-espelho nos permitem captar a mente dos outros não por meio do raciocínio conceitual, mas pela simulação direta. 
Sentindo e não pensando." 

Encontradas em várias partes do cérebro, essas células disparam em resposta a cadeias de ações relacionadas a intenções. Em resumo, ao observar a ação de outra pessoa, conseguimos interpretar suas intenções.

“E, se você me ver emocionalmente aflito por ter perdido uma cesta, os neurônios-espelho do seu cérebro simulam minha aflição. Automaticamente, você sente empatia por mim porque, literalmente, sente o que estou sentindo.”

Os neurônios-espelho parecem analisar cenas e ler mentes.

O aprendizado se dá através da imitação. Se você sorri para um bebê ele faz o mesmo. São os neurônios-espelho que nos ajudam a criam empatia, tanto para o bem quanto para o mal. Se alguém bocejar, a gente também boceja. Se assistimos a cenas de violência ou de romance despertam reações no organismo e somos capazes de sentir o que estamos vendo no filme, por exemplo.

mudar_tofelizdavida
Para mudar, que tal ver o mundo sob outra ótica? (MaxPixel)

Queixas: como mudar o quadro

Sendo seres conscientes, temos como mudar o pensamento ruim ou de reclamação, cada vez que ele surge. Aos poucos ele pode ser substituído por “tudo bem. Está tudo bem. Está tudo sob controle” e, em seguida, mudar para pensamentos como “sou um aprendiz. O que tenho para aprender com isso? Como posso lidar com isso?” e assim por diante. Outra atitude proativa é pensar “eu aceito”, respirar fundo e repensar sobre o ocorrido, de modo mais flexível.

Outra coisa é ir deixando de ser perfeccionista e tão rígido. Se for o caso, peça a ajuda de alguém que confie. Peça para essa pessoa te dar uns toques quando estiver sendo rígido demais. Afinal, cada um tem valores, princípios, personalidade e caráter diferentes. E quando se começa a compreender e aceitar isso, as queixas vão diminuir.

Escolha a felicidade ao invés de se queixar

O autor Bowen afirma que quando deixamos de nos queixar, podemos aumentar em 20% a nossa felicidade!

Ele sugere substituir as queixas e reclamações pela prática do amor e de servir aos outros. Ele diz “escolha a felicidade”. Isso é possível quando as pessoas adotam um canal de comunicação mais eficaz. Quando as pessoas têm problemas com alguém, com quem vai reclamar? Com os outros, com azamiga. É fácil visualizar o quadro. Se ficou chateada com o chefe, reclama com o colega (e pior, às vezes com os colegas). Se ouviu coisas do marido, vai se queixar com azamiga  🙁  Por que não falar diretamente com a pessoa que te causou um mal estar, te deixou chateada ou triste? Assim, se resolve o problema.

Novo mindset

Outra recomendação é mudar o mindset. Que tal pensar e analisar por outros ângulos ou colocar foco nos seus propósitos? Quando algo me chateia, tenho feito o seguinte: pratico a respiração profunda várias vezes, com os olhos fechados e digo 3 vezes “está tudo bem”. Depois que me acalmei penso seriamente porque aquela situação aconteceu comigo, sem vitimismo, mas com um olhar sério para saber o que fiz para provocar aquela situação. O que posso mudar em mim. Aceito, perdoo, agradeço, mando amor  ➡  nessa ordem. Tem funcionado.

Outra dica que funciona. Pegue um caderno ou o próprio bloco de notas do smartphone e anote todas as suas queixas do dia, colocando data. E se vigie: “hoje reclamei 34 vezes, amanhã vou reduzir”. E assim, vá reduzindo dia a dia, encarando os problemas e as insatisfações. Ao longo de menos de 30 dias verá que conseguiu mudar o mindset. O cérebro começa a te ajudar a evitar queixas até que reduza isso a quase zero. Comemore a cada conquista de redução e se auto-estimule. Que tal tentar?

ouvir_tofelizdavida
Pequenas atitudes que podem ajudar a pessoa reclamenta ou queixosa

O que fazer com alguém que se queixa demais?

Concordo com alguns autores de quem sou fã e passei a adotar as técnicas recomendadas. São bem simples.

  1. Ouça olhando nos olhos e diga palavras de incentivo do tipo “o diálogo é o melhor caminho”, “sua sabedoria interna vai saber resolver isso”, por exemplo. Jamais alimente a queixa.
  2. Se as palavras positivas não resolveram, mude de assunto.
  3. Se ao mudar de assunto, não resolver, dê um sorriso sincero olhando firmemente nos olhos e fique quieta.
  4. Se mudar para ficar quieta não resolver, afaste-se. Este é o maior gesto de gentileza para com a pessoa. Sabe porque? Pra não dar mais corda para alimentar as queixas dela. E gentileza com você mesmo, pra não se contaminar. Respire fundo, dê um sorriso e diga “tá tudo bem, tá tudo sob controle e isso não me afeta. Paz e luz pra ela”.

Espero que essas dicas sobre reclamações e queixas tenham te dado uma luz  💡

Paz, alegria e amor sempre!

#tofelizdavida  😉

⭐️ Se gostou, comente e compartilhe, por favor. ↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓

 

 

 

 

 

Reclamações e queixas: o que acontece com o cérebro e como mudar isso?
Classificado como:            

Comentários no Facebook

Pular para a barra de ferramentas