felicidade (Wikimedia Commons)
felicidade (Wikimedia Commons)

A felicidade pode ser construída, edificada como um novo hábito. Esta é uma experiência pessoal, desde que resolvi escolher a positividade todos os dias. É um caminho que estou desenvolvendo com a Psicologia Positiva.

Já tive depressão, síndrome do pânico e sempre fazia as minhas escolhas baseadas em ser racional, sempre muito exigente comigo mesma e com as pessoas à minha volta. Na última crise de síndrome do pânico, o que me fez voltar ao psiquiatra e, consequentemente, tomar medicamento, comecei a refletir se não haveria outro caminho. Pesquisei, estudei e li muito sobre o comportamento humano, a mente humana e como poderia buscar novas práticas, novos hábitos.

Aí, o começo foi de quebrar velhos paradigmas. E, confesso, foi difícil, porque me achava realista. Usava os óculos do pessimismo. O oposto do pessimismo é o otimismo. Foi quando me deparei com a Psicologia Positiva. Comecei a compreender outras práticas como exercícios físicos, meditação, mudança de hábitos alimentares e revisão interna. O pior processo foi a revisão interna. O autoconhecimento. Mas valeu a pena, como tem valido até hoje. Decidi que estou em constante processo de mudança. Já não sou mais a mesma de ontem e amanhã serei diferente. Aqui está uma das chaves. Meu pai sempre nos ensinou que caráter e personalidade devem ser retos. Entendi a mensagem de forma distorcida. Caráter pode ser imutável, mas a personalidade pode ser mudada sim. De triste para alegre, de pessimista para positiva, de inflexível para flexível, aumentar a resiliência e assim por diante.

100% responsável pela minha felicidade ou infelicidade

Talvez, os pontos de virada tenham sido o livro O Segredo e o meu encontro com o Ho’oponopono. Nesse último, ele diz “assuma 100% de responsabilidade sobre sua vida”. Wow!!! Tudo de bom e de ruim, a responsabilidade é minha. Isso é forte. Ou seja, se sou feliz não é porque tenho um parceiro que me faz feliz. Se estou desapontada não foi porque fulano me magoou. Aqui entra a lei da permissão. Eu me permito ser mais feliz, eu permiti que alguém me magoasse. Portanto, em tudo o que acontece eu permito ou não permito. É muito mais fácil botar a culpa nos outros e colher as glórias das coisas boas para si. No entanto, encarar que a gente é 100% responsável por tudo o que ocorre na vida, é pesado e ao mesmo tempo, incrível. Acabam-se o vitimismo, o mimimi e o dodói.

Também já tinha lido Louise Hay e Cheryl Richardson em meados da década de 90. Louise Hay foi pioneira na cura pelas atitudes mentais, o que agora é considera medicina quântica. Cheryl foi a minha inspiradora para estudar coaching no Japão, quando ainda poucos estudavam.

Mais tarde, tendo passado pelo O Segredo e o Ho’oponopono é que conheci a Psicologia Positiva. Martin Seligman teve uma luz quando sua filha sugeriu que ele estudasse o que faz as pessoas felizes e não o contrário: como sair da depressão, por exemplo. Assim, o psicólogo realizou um belíssimo trabalho de pesquisa e encontrou na alegria, na positividade, na meditação, na resiliência e gratidão, ingredientes para que as pessoas tenham uma vida mais feliz.

Imagem: Pixabay
Imagem: Pixabay

Felicidade e aprendizados com a Psicologia Positiva

Fiz apenas um pequeníssimo breve resumo, mas fui beber da fonte, fazendo um curso online oferecido por uma universidade americana. Li vários livros, os quais me enriqueceram de conhecimento – as descobertas de pesquisas nessa área e de estudos práticos.

Introduzi a prática da meditação, do exercício diário, da gratidão, da prática da alegria e da mudança na minha alimentação. Aliás, passei a ter gosto pela cozinha e a pratico experimentando novos sabores e novas combinações. Tem dado muito certo, pois há 4 anos não preciso mais de nenhum medicamento antidepressivo e não tive mais nenhuma crise.

Para resumir, o estado de felicidade acontece em momentos. Porém, a alegria, a gratidão, a fé, a compaixão e a resiliência podem nos ajudar a encontrar essa felicidade tão procurada. A serenidade de estar em paz na meditação, para mim é felicidade. Um sorriso espontâneo é um momento de felicidade. Receber um abraço é um momento de felicidade. Comer uma comidinha saborosa e saudável é um prazer e uma alegria, o que me dá uma felicidade imensa.

Então, a felicidade pode ser construída todos os dias. A gente pode sim fazer disso um hábito. É um hábito do bem querer pra gente mesma.

Vale a pena tentar, agir e transmutar!!!

Deixe seu comentário aqui embaixo pra que possamos discutir a respeito deste assunto.

#tofelizdavida

 

Felicidade pode ser construída como um hábito e é uma escolha
Classificado como:    

Comentários no Facebook

Pular para a barra de ferramentas