girl-1098612_960_720

Hoje trago pra você uma reprodução em português do resultado de uma importante pesquisa onde se relaciona a depressão com a microbiótica intestinal, realizada no Japão.  Primeiro, sugiro ler o texto em azul, pois é super interessante!

A equipe colaborativa da Yakult constatou um resultado interessante, relacionado à depressão: a microbiótica intestinal do paciente com depressão possui um número reduzido de bifidobactérias. Traduzindo em termos simples, o intestino de uma pessoa com depressão apresenta reduzido número de “bactérias do bem”. 

O resultado do estudo foi conduzido pela equipe da Yakult em conjunto com o Centro Nacional de Pesquisa da Psiquiatria do Japão, o qual foi publicado em uma revista científica holandesa e anunciado para a imprensa no sábado, 18 de junho deste ano. 

Como nos últimos anos cada vez mais as pesquisas apontam que as bactérias intestinais afetam o cérebro, as equipes constataram que  um decréscimo das bifidobactérias pode ser o fator suscetível no aumento do risco de desenvolvimento da depressão.

Atualmente há cerca de 73 milhões de pessoas com depressão, em tratamento nas instituições médicas do Japão. Essas são as que se consultam e recebem tratamento, entretanto, há possibilidade de que esse número real seja o dobro ou mais.

A equipe de pesquisa tomou como alvo 57 pessoas saudáveis e 43 pacientes com depressão, para examinar o número de bifidobactérias ou as “bactérias do bem” do intestino desse público. 

Os exames mostraram 32 milhões de unidades de bifidobactérias em 1 grama de fezes das pessoas com depressão, enquanto nas pessoas saudáveis esse número chegou a 1 bilhão de unidades. Em relação aos lactobacilos, foram encontrados 790 mil em pessoas com depressão, enquanto que nas pessoas saudáveis o número subiu para 3,98 milhões de unidades. 

Além disso, constatou-se que há aumento da probabilidade de depressão em pessoas com bifidobactérias abaixo de 34 milhões de unidades. O risco de ficar com depressão potencializa em 2,5 a 3 vezes nas pessoas abaixo desses índices.

Constatou-se que há uma incidência maior de depressão nas pessoas que sofrem com a “síndrome do intestino irritável”, agravado pelo estresse, apontando para a implicação da microbiótica intestinal também nesse caso.

A partir de agora, a equipe tem na programação estudar se a ingestão das bebidas com ácido lático pode ajudar na depressão e pesquisar sobre os efeitos nos vários tipos de bactérias. “Gostaria de criar um link para o desenvolvimento de medicamentos”, declarou Hiroshi Kunugi, do referido centro de pesquisa.

Minha opinião sobre o assunto, com gratidão

Os sábios chineses já diziam 5 mil anos atrás que o intestino é o nosso segundo cérebro. E eis aí mais uma pesquisa científica referendando o que a MTC-Medicina Tradicional Chinesa ou a medicina ayurvédica já sabiam. Sim, o intestino delgado é um órgão inteligente, capaz de executar funções independentemente do SNC-sistema nervoso central. Isso é bárbaro, né!

Estudos também mostram a relação das bifidobactérias com o sistema imunológico do bebê que se alimenta do leite materno (ele fica mais forte). Quando esse número é mais baixo, afeta a defesa imunológica do adulto, pode ser a causa da dermatite atópica, do aumento da taxa de “colesterol ruim” e outros.

O aumento das bifidobactérias podem ajudar no tratamento até de alguns tipos de câncer e, agora, no tratamento do mal do século que é a depressão.  O intestino é responsável pelos neurotransmissores importantes como serotonina (bem estar, alegria, otimismo e bom humor)  e melatonina (hormônio do bem estar e sono). Então, vamos cuidar bem dele!

Como você sabe, já tive depressão no passado. E é horrível. É a doença que mais incapacita os adultos no trabalho, é o mal do século.  Por isso, procuro trazer posts para se prevenirem dessa doença ou para que as pessoas se livrem dela. Fico muito feliz em encontrar matérias como esta que trazem informação de relevância para compartilhar com você. #SouGrata aos cientistas que não medem esforços para encontrar mecanismos para a prevenção e tratamento. Eles abrem caminhos, entretanto, cada um de nós tem que fazer o que nos cabe, pois o divino também está dentro de nós.

Não vou me alongar no texto. Entretanto, recomendo ingerir iogurte, bastante água de boa qualidade (com pH acima de 8), dieta alimentar saudável com fibras e ótimas fontes de nutrientes, evitar produtos alimentícios industrializados, praticar exercício físico, dormir bem e meditar.

Vamos ter uma vida com gratidão, alegria, amor no coração e ficar no modo #tofelizdavida, todos os dias!!!

Se achar que este texto pode ajudar alguém, compartilhe, por favor 🙂  E deixe seu comentário aqui embaixo. Arigato 🙂

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬۩۞۩▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Fonte: Jornal Mainichi (毎日新聞) e Imagem: Pixabay

Para ler a matéria original em japonês, clique aqui.

 

Depressão: constatação de falta de “bactérias do bem” no intestino
Classificado como:                

Comentários no Facebook

Pular para a barra de ferramentas